Super Size Me


"O tamanho grande é sempre o melhor", mas quando o "tamanho grande" faz com que você passe da seção convencional para a seção de "tamanhos grandes" das lojas, é bom também? 
A correria do dia a dia, o excesso de trabalho virou desculpa para que mais e mais pessoas passem a optar pelos fast foods, as redes de restaurantes especializados neste tipo de comida crescem de forma assombrosa. No Brasil o conceito fast food surgiu em 1950, hoje 60 anos depois existe cerca de 12 redes de restaurantes do ramo instalados pelo país, para se ter noção o mais famoso deles, o McDonald's possui 1.157 pontos de venda espalhados por aqui, se este total fosse dividido de maneira igual daria um número de 42,8 restaurantes por estado. 
Equivalente ao aumento do consumo de fast foods em nosso país nota-se o aumento do número de pessoas obesas, principalmente crianças. "A obesidade infantil aumentou cinco vezes nos últimos 20 anos no Brasil", o número de crianças obesas equiparou e ultrapassou ao número atingido pelos estadunidenses, estes hoje, após longos anos em convívio com a obesidade optaram pela adoção de métodos na tentativa de evitá-la.
Os dados são alarmantes "na mesma medida em que se consegue erradicar a miséria entre as camadas mais pobres da população, a obesidade sobrepõe-se como um problema mais freqüente e ainda mais grave que a desnutrição. "É o fenômeno da transição nutricional, que sobrecarrega nosso sistema de saúde com uma demanda crescente de atendimento a doenças crônicas relacionadas com a obesidade", informa o relatório, que estima que 200 mil pessoas morram anualmente em decorrência destas complicações na América Latina". 
A transição nutricional (de desnutrição para a obesidade) ocorreu de maneira insatisfatória, lutar pela erradicação da desnutrição não significa contribuir para o aumento da obesidade. 
Os diversos programas de alimentação existentes no país desde a década de 30 têm como objetivo melhorar a qualidade de vida da população, bem como amenizar os agravos relacionados a má alimentação.
A obesidade desencadeia várias das doenças que chamamos de crônico-degenerativas, como hipertensão e diabetes, estas doenças são as principais causa de mortalidade e incapacidade no mundo.
O brasileiro aos poucos está perdendo o hábito de sentar-se a mesa, de comer feijão e arroz, põe a culpa no trabalho, na rotina diária, mas independente de quem seja a culpa o prejudicado será ele mesmo.

Para quem quer saber um pouco dos malefícios causados pelo consumo excessivo de fast foods assista ao filme Super Size Me - A dieta do palhaço.

9 comentários:

Ana Rita disse...

Eu posso considerar que cuido da alimentação, sou vegetariana e como muita frutas e verduras, mas como qualquer ser humano, dá uma relaxadinha e come umas coisas gordurosas. Mas nada de grave... Pena que o número de pessoas obesas continua crescendo.

Gostei daqui. Beijos!

CAMYS disse...

A culpa é do capitalismo! A culpa é do capitalismo! Me exonero completamente da culpa de adorar McDonalds, Starbucks e Burguer King.
Eu poderia estar fumando, mas estou me deliciando com um enorme big mac...Que culpa tenho eu?

deblita!!! disse...

poooooooow mt obrigada mesmo pela nota!! valeu mesmo ;*

gostei mt das suas materias! sao bem interessantes mesmo!

Fabiano disse...

que a obesidade é o mal desse século isso é indiscutível. mas acho que culpar as empresas de fast foods pelo aumento da obesidade nos brasileiros é cruel. falta é educação as pessoas de perceberem que não lanches como os das lojas são para serem consumidos eventualmente. cabe aos pais ter o discernimento de informar aos filhos o quanto uma alimentação saudável pode ser benéfica no futuro. e se associado com atividade física a qualidade de vida tende a ser melhor.
mto bom o post.
se tiver um tempo visite o meu blog.
abraços.

http://blog-do-faibis.blogspot.com/

Jhonny disse...

Fiquei espantado ao saber que o McDonalds dos EUA vendem lanches daquele tamanho. O nosso maior é o pequeno deles. Que absurdo. Infelizmente muitas pessoas compram e com isso estragam suas vidas. Um copo de refri Super Size deles cabe 2 litros...uma bomba de açucar!!! Sem contar os sanduíches. Eu não consigo comer nem a metade daquilo.E o McDonalds não está nem aí pra isso. Puro CAPITALISMO.

Aline Cruz disse...

Fabiano...Não foi minha intenção dizer que as empresas são culpadas pelo aumento da obesidade.. tanto que fiz questão de dizer que as pessoas se utilizam de desculpas como falta de tempo...correria e etc para trocar uma refeição comum pelos fast foods.. Eu citei o aumento só para enfatizar o quanto é consumido (porque se houve o aumento é porque houve procura)...
Gostei do que vc disse sobre os pais.. a maioria deles optam pelo fast food pela praticidade... e não pensam na sáude.

Sandro Batista disse...

Aline,

Gosto muito quando deparo com blogs que dediquem um pouco de espaço a assuntos sérios e atuais (embora eu adore uma futilidade, sou humano ora bolas...hehehehhe).
A questão da obesidade deveria ser encarada não apenas pelo lado estético, mas principalmente pela questão da saúde mesmo, da qualidade de vida. A maioria das pessoas que querem perder "uns quilinhos" preocupam-se apenas com a aparência, e não se dão conta de que o problema vai muito além do que o espelho mostra. Parabéns!

Abração

http://estacaoprimeiradosamba.blogspot.com/

Cath disse...

Olá, Aline
Vim conhecer seu blog e por morar na Irlanda eu conheço mtu bem como é viver a dieta do palhaço. O Mcdonalds daki tem hamburgueres, o Big Mac é menor, e eu não curto muito eu prefiro o Joe´s que só existe aqui mesmo e o hamburguer é imenso. Eu trabalhei algum tempo na contabilidade e recepção de um hotel aqui e conclusão depois das 23 horas, era só hamburguer mesmo hahaha. Gostei muito do seu blog, excelente conteúdo. Parabéns
Se vc quiser me visitar, será bem vinda: www.catincollege.blogspot.com

bjuss

Laís Brito disse...

Entendo como é isso. Achei muito interessante o que você colocou ! :D